mais pessoas

Greg Stone
Greg Stone O biólogo marinho Greg Stone é um ...
André Oliveira - Sushiman no Mercado da Vila
André Oliveira - Sushiman no Mercado da VilaPara se ser especialista em cozinha ...
Miguel Rocha Vieira
Miguel Rocha VieiraMiguel Rocha Vieira, de 38 anos, tem no ...
Agatha Ruiz de la Prada
Agatha Ruiz de la Prada Agatha Ruiz de la Prada, que expôs de 9 ...

Está aqui

José Guilherme Lima dos Santos

Do berço para o tabuleiro de xadrez: José Guilherme Lima dos Santos teve uma paixão muito cedo pelo xadrez. A família ainda guarda um vídeo em que com apenas quatro anos disse à mãe que o jogo que mais gostava de jogar era xadrez.

É um talentoso xadrezista que, aos 12 anos vai representar Portugal no Campeonato Europeu a decorrer em Praga no mês de Agosto. Recorda a sua primeira vitória. “Tinha 8 anos” quando ganhou uma partida ao pai, Paulo Lima dos Santos, que não era propriamente um curioso, chegou mesmo a ser federado e também participou em torneios. “As pessoas não sabem, mas o xadrez exige muito estudo e dedicação”, conta-nos, José Guilherme.

Já a irmã, com 19 anos, que também assistia às partidas em casa de xadrez entre o pai e a avó, não é adepta da modalidade. “A minha irmã dá-me apoio moral”, diz-nos José.

Ensaiou as primeiras jogadas com o pai e a avó. Treina desde os 9 anos no Grupo de Xadrez Alekhine, em Lisboa com o professor Carlos Aguiar, aos sábados e domingos. O pai diz que foi difícil arranjar um clube para o Guilherme treinar. “Cascais é um concelho espetacular, mas é uma pena que não aposte nesta modalidade”, lamenta.

José Guilherme explica que há três ritmos diferentes no Xadrez: Rápidas, com uma duração de mais ou menos 5 minutos; semirrápidas, de 20 minutos e as clássicas que podem demorar bastante tempo. Joga com raparigas e rapazes da sua idade e mais velhos. Há torneios em que as faixas etárias se misturam, “pode-se jogar com pessoas de 10 ou de 70 anos”, conta.

A primeira vez que José Guilherme ganhou um torneio tinha 9 anos. Foi tricampeão distrital de jovens de partidas clássicas (2014, 2015, 2016), campeão nacional de jovens de semirrápidas (2015), campeão distrital de jovens de semirrápidas (2016), vice-campeão nacional de jovens de semirrápidas (2016) e terceiro no campeonato nacional de jovens de rápidas (2016).

Aluno de excelentes notas, sobretudo a Matemática, estuda na Escola Pereira Coutinho, em Cascais. Pai e filho deixam um apelo: “Gostávamos que a Federação Nacional de Xadrez apostasse nas camadas mais jovens, promovendo torneios nas escolas. O Xadrez desenvolve a capacidade de concentração, análise e raciocínio”.

"C" 70 - junho de 2016

Cascais Digital

banner_cascais_0banner_cascaisambiente_0banner_cascaisparticipa_0banner_cascaisjovem_0banner_cascalitosbanner_lojacascaisbanner_bairromuseus_0banner_geocascaisbanner_agendacascaisbanner_fixcascais