Está aqui

Campus de Cascais da faculdade de Ciências da saúde da Universidade Católica Portuguesa

O acordo para o desenvolvimento do Campus de Cascais da Faculdade Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa envolve a Câmara Municipal de Cascais, Universidade de Maastricht e Grupo Luz Saúde. O projeto integra ainda a criação de uma nova unidade de saúde que irá funcionar nas instalações do antigo Hospital de Cascais.
Projeto ambicioso e inovador, a criação deste novo polo vai, ao encontro dos princípios estratégicos do município de fixação, em Cascais, de conhecimento e talento nacional e internacional, atraindo jovens e investimento para o concelho.
 
Unidas surgem entidades públicas e privadas, assim como a prestigiada Universidade de Maastricht com longas décadas de experiência internacionalmente reconhecida na área da Medicina. O curso será baseado no modelo de ensino (assente em Problem Based Learning) que Maastricht tem vindo a desenvolver há 50 anos e será totalmente lecionado em inglês.
 
 
Para garantir mais espaço para o desenvolvimento do projeto, a autarquia disponibilizou o antigo edifício municipal, anexo ao antigo hospital, onde funcionava a empresa Águas de Cascais, para a instalação da Faculdade de Medicina da Universidade Católica Portuguesa, tendo sido celebrado um protocolo entre estas duas entidades.
 
Manuel Delgado, Secretário de Estado da Saúde, presente na cerimónia, sublinhou “a competitividade científica” que este projeto vem gerar, bem como o facto de “possibilitar formação interna e acrescentar valor para os cidadãos com a construção de duas novas unidades hospitalares (em Cascais e Oeiras), o que aumenta a prestação de cuidados de saúde. O governante destacou ainda a “componente de natureza económica” do projeto que “não se pode descartar: a criação de postos de trabalho e a dinamização do tecido económico e empresarial da região.”
 
“O ensino da medicina em Portugal é ótimo, mas há sempre espaço para inovar”, salientou Isabel Capeloa Gil, Reitora da Universidade Católica Portuguesa. “Este é um projeto com o carimbo da valência académica e científica de uma das universidades europeias de maior prestígio no ensino de Medicina, o que irá atrair não só estudantes portugueses que estão a estudar lá fora, como estudantes estrangeiros que contarão aqui, em Cascais, com as melhores condições para a formação e investigação científica”, acrescentou.
 
Arranca agora o pedido de homologação do novo curso que Isabel Gil vai submeter à Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES) acreditando que o mesmo será aprovado: "A homologação dos cursos, depois de entregue o processo à A3ES, em geral, demora um ano”.
 
Um prazo que não compromete o investimento de 35 milhões destinados pelo Grupo Luz Saúde à unidade de Cascais que Isabel Vaz, diretora executiva do grupo Luz Saúde, garante: “o hospital vai sempre avançar, independentemente da acreditação da A3ES para o curso”.
 
A responsável sublinha, no entanto que “o modelo está a ser construído com base em todos os requisitos necessários para funcionar como hospital universitário. Este projeto tem uma grande componente de investigação, vai ter um grande centro de investigação incorporado no hospital com um grande centro de simulação, que é hoje fundamental para a educação médica moderna e que traduz o nosso comprometimento com um projeto inovador, internacional, que visa trazer para Portugal alunos de toda a Europa e continuar a projetar a formação médica portuguesa na Europa", esclarece Isabel Vaz.
 

Sugerimos também

Cascais Digital

banner_cascais_0banner_cascaisambiente_0banner_cascaisparticipa_0banner_cascaisjovem_0banner_cascalitosbanner_lojacascaisbanner_bairromuseus_0banner_geocascaisbanner_agendacascaisbanner_fixcascais