Está aqui

Opções Metodológicas (Diagnóstico Social de Cascais) | Pessoas

O Diagnóstico Social de Cascais prevê a utilização de diversas metodologias, complementares entre si e de levantamento de informação, tais como:

1. Inquérito Telefónico

2. Inquérito online a organizações

3. Spiral

4. Utilizadores/as das respostas sociais

5. Beneficiários/as da intervenção da Rede Social – inquérito e histórias de vida

6. Dados estatísticos

7. Focus goup

1. I. Tel.2. I. online3.Spiral4. Util.RS5.Benef. RS6. Dados Est.7. F. Group
1. I. Tel.
1. Inquérito telefónico
 
No âmbito do diagnóstico social de Cascais foi efetuado um inquérito a uma amostra representativa da população de Cascais, tendo sido abrangidas 450 pessoas.
Veja aqui  o questionário aplicado e a constituição da amostra.
2. I. online
2. Inquérito online
 
De forma complementar ao inquérito telefónico, foi aplicado um inquérito a organizações locais, procurando por esta via obter informação relativa às condições de vida da população de Cascais, em particular dos grupos de análise do diagnóstico social (crianças e jovens, pessoas idosas, pessoas com deficiência, imigrantes e mulheres) e das 8 áreas de vida contempladas (consumo e alimentação; informação e comunicação; educação; saúde; emprego; rendimento; habitação, urbanismo e acessibilidades; cultura e lazer).
 
Com uma taxa de resposta de 48% (157 organizações) foi recolhida informação muito diversificada, abrangendo domínios como:
 Níveis de participação cívica de grupos específicos (imigrantes, jovens, pessoas idosas e pessoas com deficiência); 
 Situações de discriminação das comunidades imigrantes; 
 Formas de ocupação de tempos livres das crianças e jovens; 
 Dificuldades de conciliação da vida familiar e profissional;
 Níveis de partilha de cuidados a crianças e pessoas dependentes por homens e mulheres;
 Situação das famílias monoparentais
 Problemas de saúde mental
 Impacto da crise económica no rendimento das famílias
 Estigma associado aos bairros sociais
3.Spiral
3.Spiral
 
Uma das metodologias utilizadas no âmbito do Diagnóstico Social é a SPIRAL (Societal Progress Indicators and Responsabilities for All). Esta metodologia, desenvolvida pelo Conselho da Europa, inscreve-se numa abordagem ascendente (buttom-up) que visa o progresso social focado no bem-estar de todas as pessoas e definido pela voz dos cidadãos e cidadãs. Parte do pressuposto de que a coesão social e o progresso podem ser medidos com indicadores construídos a partir de critérios de bem-estar definidos pelas próprias pessoas e que os avanços para o bem-estar de todos, inclusive das gerações futuras, é uma responsabilidade partilhada.
 
A SPIRAL concretiza-se através da formação de grupos homogéneos de 7 a 12 pessoas, a quem são colocadas as seguintes questões:
 O que é para si bem-estar?
 O que é para si mal-estar?
 O que é que você faz ou pode fazer para assegurar o seu bem-estar e o bem-estar de todos?
 
Com vista à aplicação da SPIRAL foi dada formação sobre a metodologia a um conjunto alargado de facilitadores/as (técnicos/as das organizações da Rede Social) que dinamizaram as sessões Spiral. Conheça aqui  os grupos de população que foram abrangidos.
 
Definição de critérios do bem-estar da população e indicadores de progresso.
Grupos de população a abranger:
 
Jovens:
 Alunas de ensino secundário público |  Alunos de ensino secundário público  |  Alunas de escola secundária privada  |  Alunos de escola secundária privada  |  Raparigas pertencentes ao movimento associativo juvenil  |  Rapazes pertencentes ao movimento associativo juvenil  |  Raparigas abrangidas por projetos Escolhas  |  Rapazes abrangidos por projetos Escolhas 
 
Seniores:
 Mulheres frequentadoras de Academias Sénior |  Homens frequentadores de Academias Sénior  |  Mulheres frequentadoras de Centros de Convívio |  Homens frequentadores de Centros de Convívio  |  Seniores (H/M) que exercem voluntariado
 
Pessoas com deficiência:
 Mulheres com deficiência motora  |  Homens com deficiência motora  |  Mulheres com deficiência intelectual  |  Homens com deficiência intelectual
 
Imigrantes:
 Mulheres brasileiras em idade ativa  |  Homens brasileiros em idade ativa 
4. Util.RS
4. Utilizadores/as das respostas sociais
 
Uma das componentes do diagnóstico social é a atualização da Carta Social que inclui uma caracterização dos/as utentes das 62 tipologias de respostas sociais  existentes em Cascais, desenvolvidas por 197 organizações. Esta informação está a ser recolhida através de inquéritos às organizações aborda as seguintes dimensões:
 Nº de utentes de cada resposta social e respetivas listas de espera
 Idades, nacionalidades, nível de escolaridade e freguesia de residência dos/as utentes
 Nº de crianças e jovens com necessidades educativas especiais no caso das respostas à infância/juventude
 Nº de pessoas com deficiência em todas as respostas sociais (para além das que são especificamente dirigidas a esta população)
 
 
5.Benef. RS
5. Beneficiários/as da intervenção da Rede Social – inquérito e histórias de vida
 
Para além do inquérito telefónico efetuado a uma amostra representativa da população de Cascais, o diagnóstico social inclui inquéritos a pessoas que beneficiam diretamente da intervenção das organizações da Rede Social. Para tal foram selecionadas 30 intervenções, procurando-se por esta via, conhecer o impacto e a mudança gerada nos respetivos públicos-alvo.
 
6. Dados Est.
6. Dados estatísticos
 
O diagnóstico social de Cascais prevê a recolha de um conjunto exaustivo de indicadores estatísticos, complementares às restantes fontes informativas, e que se relacionam com as perguntas de partida. Conheça aqui  os indicadores previstos no âmbito do diagnóstico social.
 
7. F. Group
7. Focus goup
 
Com vista a colmatar  lacunas informativas e de forma complementar à informação recolhida através dos inquéritos, foram desenvolvidos focus group com grupos específicos de munícipes e de profissionais:
 Jovens de diversos estratos socioeconómicos
 Homens adultos de variadas origens étnicas e nacionalidades residentes no concelho
 Mulheres adultas de variadas origens étnicas e nacionalidades residentes no concelho
 Adultos/as de nacionalidade portuguesa residentes no concelho
 Pessoas com deficiência residentes no concelho
 Pessoas idosas de variadas origens étnicas e nacionalidades residentes no concelho
 Representantes e intervenientes do setor cultural concelhio
 Membros da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens, professores/as e outros agentes relevantes do sistema educativo concelhio
 
Estes focus group incidem sobre algumas das perguntas de partida do diagnóstico social, como por exemplo:
 Que impacto a escola tem tido na mobilidade social ascendente? 
 A nutrição está assegurada de forma satisfatória para a população em geral e para os grupos desfavorecidos em particular? 
 Existem assimetrias no acesso aos cuidados de saúde? 
 Qual o grau de integração dos imigrantes de segunda geração e das crianças imigrantes? 
 De que forma ocupam os jovens os seus tempos livres e que espaços frequentam? 
 Como é que as famílias gerem e afetam o dinheiro disponível? O que consomem regularmente? 
 Que situações de precariedade laboral existem no concelho e que públicos afetam? Que impacto tem a precariedade laboral na vida das pessoas? 
 Quais os impactos da quebra/ redução dos rendimentos na vida das pessoas? 
 Que peso têm os modelos tradicionais e as representações sociais de género nas opções de vida das mulheres e dos homens? 
 As pessoas com deficiência têm uma voz ativa na sociedade? Qual o grau de participação e comprometimento das pessoas com deficiência? 
 Até que ponto são os idosos representados nas estruturas de defesa ou representação dos seus direitos (incluindo nas instituições)? 
 

Sugerimos também

Cascais Digital

banner_cascais_0banner_cascaisambiente_0banner_cascaisparticipa_0banner_cascaisjovem_0banner_cascalitosbanner_lojacascaisbanner_bairromuseus_0banner_geocascaisbanner_agendacascaisbanner_fixcascais