Está aqui

Sinfónica de Cascais abre 2017

A Sinfónica de Cascais deu o seu tradicional concerto de Ano Novo. Mais de 600 pessoas esgotaram o Salão Preto e Prata, no Casino Estoril, para ouvir a orquestra tocar um alinhamento inspirado nos signos astrológicos do zodíaco.

"O concerto de Ano Novo implica sempre peças mais leves, como valsas e outras com caráter de divertimento", explicou o Maestro Nikolay Lalov. "Escolhi compositores de cada signo, com introduções minhas para cada tema e fiz trabalho de casa, para ver como vai correr o ano de 2017 para cada um dos signos. É uma forma de entrar no ano com boa disposição."

Entre os doze signos, estiveram compositores famosos como Schubert, Strauss, Lehár e Chopin - mas não só. "Incluímos também alguns autores pouco conhecidos em Portugal, como Wojciech Kilar, um compositor polaco ainda vivo, e Iosif Ivanovici, romeno. Ambos escreveram lindas valsas. São surpresas, mas tenho a certeza que o público vai reagir bem", confiou o maestro, antes do concerto.

Carlos Carreiras, presidente da Câmara Municipal, registou que "Cascais teve a aspiração de ter uma orquestra sinfónica. Infelizmente, não é uma situação normal no panorama nacional, para um município. Mas em Cascais têmo-la, com excelentes músicos e dirigida magistralmente pelo Maestro Lalov." A tradição do concerto de Ano Novo "é o que mais me marca a mim, pessoalmente. Não podia deixar de estar presente, para sentir esta felicidade e iniciar bem o ano."

A tradição destes concertos de Ano Novo começou há 20 anos, na Orquestra de Cascais. "É um momento especial", disse o Maestro, "em que finalizamos parte da nossa vida e iniciamos outra, com expetativas e otimismo. Nada melhor do que começar com boa música."

Cascais Digital

banner_cascais_0banner_cascaisambiente_0banner_cascaisparticipa_0banner_cascaisjovem_0banner_cascalitosbanner_lojacascaisbanner_bairromuseus_0banner_geocascaisbanner_agendacascaisbanner_fixcascais