Está aqui

Objetivo 9: Indústria, inovação e infraestruturas

 
A aposta na inovação e conhecimento é elemento diferenciador que potencia o capital humano e a qualidade de vida.
Um território inteligente fomenta a competitividade e valor acrescentado através da captação de talento nacional e internacional.
Este princípio é dirigido a jovens, empreendedores, investidores e outro público-alvo que beneficie ou contribua para este ímpeto.
Uma aposta que concretize a apoie o potencial criativo e facilite a materialização de ideias para a sustentabilidade e competitividade a médio e longo prazo no concelho.
Esta abordagem deve ser transposta com soluções inovadoras no planeamento e ordenamento do território para, por sua vez, potenciar novas soluções com menos impacto nos recursos naturais e que conduzam a uma maior eficiência no uso do solo.
 

 

Metas Globais | Objetivo 9Boas PráticasSaiba maisDê o seu contributo
Metas Globais | Objetivo 9
Realce para as metas globais que apresentam um maior potencial para o processo local. Estas podem assim ser redefinidas com base nos objetivos locais e capacidade de resposta institucional:
 
9.1. Desenvolver infraestruturas de qualidade, fiáveis, sustentáveis e resilientes, incluindo infraestruturas regionais e transfronteiriças, para apoiar o desenvolvimento económico e o bem-estar humano, focando o acesso equitativo e a preços acessíveis para todos
 
9.2. Promover a industrialização inclusiva e sustentável e, até 2030, aumentar significativamente a parcela da indústria no setor do emprego e no PIB, de acordo com as circunstâncias nacionais, e duplicar a sua parcela nos países menos desenvolvidos
 
9.3. Aumentar o acesso das pequenas indústrias e outras empresas, particularmente em países em desenvolvimento, aos serviços financeiros, incluindo ao crédito acessível e à sua integração em cadeias de valor e mercados
 
9.4. Até 2030, modernizar as infraestruturas e reabilitar as indústrias para torná-las sustentáveis, com maior eficiência no uso de recursos e maior adoção de tecnologias e processos industriais limpos e ambientalmente corretos; com todos os países atuando de acordo com as suas respetivas capacidades
 
9.5. Fortalecer a investigação científica, melhorar as capacidades tecnológicas de setores industriais em todos os países, particularmente os países em desenvolvimento, inclusive, até 2030, incentivar a inovação e aumentar substancialmente o número de trabalhadores na área de investigação e desenvolvimento por milhão de pessoas e a despesa pública e privada em investigação e desenvolvimento
 
9.a. Facilitar o desenvolvimento de infraestruturas sustentáveis e resilientes nos países em desenvolvimento, através de maior apoio financeiro, tecnológico e técnico aos países africanos, aos países menos desenvolvidos, aos países em desenvolvimento sem litoral e aos pequenos Estados insulares em desenvolvimento
 
9.b. Apoiar o desenvolvimento tecnológico, a investigação e a inovação nos países em desenvolvimento, incluindo garantir um ambiente político propício para, entre outros, a diversificação industrial e adicionar valor às matérias-primas
 
9.c. Aumentar significativamente o acesso às tecnologias de informação e comunicação e envidar esforços para oferecer acesso universal e a preços acessíveis à internet nos países menos desenvolvidos, até 2020

 

Boas Práticas
O Cascais ID consiste num sistema de gestão de entidades e que vai permitir aprofundar e facilitar a utilização dos serviços prestados pela Câmara Municipal de Cascais. Através de uma solução de “login” único para os vários sistemas que envolvam autenticação no portal “My Cascais”, o munícipe pode requisitar e adquirir serviços da Autarquia ou parceiros na área da mobilidade, serviços pessoais ou ainda consultar informação pessoal. Pode associar-se a outras entidades com vista a alargar o leque de soluções para o seu quotidiano, o que fomenta a equidade e transparência.
 
Com o Centro de Operações Integrado – C3 - pretende-se dotar o Município de capacidade de gestão do território de forma integrada, em tempo real e de forma preditiva, abrangendo as diversas valências operacionais e de segurança quer da responsabilidade do universo municipal (Mobilidade, Proteção civil, Polícia Municipal, Intervenção no território (obras), Energia, Ambiente, Atendimento municipal) entre outros. Os seus processos de comando e controlo definidos auferem capacidade preditiva e de “machine learning” para produzir informação sobre indicadores chave dirigidos aos decisores e ao público em geral.
 
O “Data Science for Social Good Fellowship” (DSSG) tem origem na Universidade de Chicago. É um programa de verão que treina aspirantes a cientista de dados para trabalharem em “data mining”, “machine learning”, “big data” e projetos de “data science” com impacto social. Ao trabalharem com governos e organizações sem fins lucrativos, os participantes envolvem-se com problemáticas reais e atuais, ligadas à educação, saúde, energia, segurança pública, transportes, desenvolvimento económico e internacional, entre outras. Cascais foi um dos destinos europeus escolhidos para a realização do programa de verão anual, organizado em parceria com Faculdade de Economia da Universidade Nova.
Saiba mais
Descubra mais projetos e estratégias da Câmara Municipal de Cascais e de entidades parceiras cujo trabalho promove os princípios da Agenda 2030:
 

 

Dê o seu contributo
Todos podemos contribuir para a concretização do objetivo "Indústria, inovação e infraestruturas"
 
- Tem uma ideia que contribua para atingir este objetivo? Envie-nos por e-mail.
- Sempre que divulge uma ação ou projeto que seja relevante para os Objetivos use o hashtag  #CASCAIS2030
 
Para dúvidas e/ou esclarecimentos, por favor contacte-nos através do e-mail cascais2030@cm-cascais.pt

Cascais Digital

banner_cascais_0banner_cascaisambiente_0banner_cascaisparticipa_0banner_cascaisjovem_0banner_cascalitosbanner_lojacascaisbanner_bairromuseus_0banner_geocascaisbanner_agendacascaisbanner_fixcascais